Colega de quarto: 6 sinais de que a sua casa precisa de companhia - Moça de Casa | Carreira, estudos e rotina: de casa

Colega de quarto: 6 sinais de que a sua casa precisa de companhia

by - setembro 04, 2019


Antes de escrever cada post, eu tenho um pequeno ritual. Em suma, ele é composto por escolher uma música que combine que a vibe do texto e ler alguns textos no Bloglovin - para conhecer alguns dos blogs que eu sigo por lá, leia o texto que preparei sobre alguns dos meus sites favoritos. Faço isso porque nem sempre é fácil encontrar a minha voz e, ao consultar essas referências, que falam tanto sobre mim, sobre o que acredito e o que quero transmitir ao mundo, eu começo a encontrá-la.

Mas o que tudo isso tem a ver com buscar um colega de quarto? Bom, não sei se muito. Só sei que dividir a sua casa com outro alguém é mais importante do que muita gente faz parecer. E saber exatamente quais são os motivos que o levam a essa escolha também o é. 

O objetivo desse post é só te mostrar alguns sinais de que o seu lar anda precisando de um parceiro de crime. No final, ele pode acabar sendo um Joey Tribbiani ou um Eddie Menuek… Só o tempo vai dizer. Mas te ajudar a escolher o Robin perfeito para o seu Batman é missão para outros textos, ok?

As finanças começaram a pesar

Sem dúvidas, um dos maiores motivos para se desejar um colega de quarto. Seja porque a sua grana já anda curta para o seu imóvel atual, seja porque a casa é grande demais para um único morador... Ninguém reclamaria de ter as despesas cortadas pela metade. Ou, nesse caso, divididas com outra pessoa. 

Antes de pensar em vender o cachorro, o papagaio ou o dinossauro de estimação, pense se o seu estilo de vida doméstico seria melhor se encontrasse alguém para bancá-lo com você.

Por vezes, quando as contas apertam, as pessoas só enxergam três opções: ser promovido, cortar o máximo de gastos ou voltar para casa dos pais - mesmo que essa opção seja quase uma sentença de morte para a sua independência, dependendo de como é a relação com eles. Economizar é importante, mas imagine como o seu nível de conforto poderia ser mantido (ou até impulsionado) com mais alguém para bancá-lo, pequeno gafanhoto.


Você se sente solitário

Em um post antigo aqui do blog, discutimos como a solidão costuma morder quem vive em casa, a trabalho, estudos ou morando sozinho (inclusive, compartilhei algumas das minhas melhores dicas para driblar esse sentimento!). O mais surpreendente foi ler os comentários e perceber que, mesmo quando isso faz parte do nosso sonho ou somos introvertidos, a solidão é algo que pega todo mundo de surpresa. 

“Nos meus filmes favoritos, a protagonista morava sozinha e sempre estava feliz… Por que eu não me sinto assim?”. 

É difícil explicar a cabeça da gente. Mas o que posso dizer por mim é: quanto mais tempo sozinha eu passo (trabalhando, estudando ou simplesmente fazendo nada), mais eu valorizo a convivência com as pessoas. Por esse motivo, eu não sei se me vejo mais morando completamente sozinha. 

E tá tudo bem. Só tenha certeza de escolher alguém com quem você tenha alguma amizade. É óbvio que a outra pessoa não vai passar 5 horas do dia ao seu lado: ela também tem os seus afazeres e não é seu marido/esposa - mas se certifique de que vocês se gostem e vão passar algum tempo juntos, conversando. Nem que seja no jantar.

Mesmo que nem todo apartamento compartilhado acabe sendo como em New Girl, uma presença humana diferente da sua pode ser o respiro que você precisa no seu dia a dia.

A organização do lar começou a pesar

Como eu disse lá no sinal #01, é possível que você esteja morando em um imóvel maior do que realmente precisa. Mas adivinhe só: ele não está nem aí pra isso e continua sujando de forma proporcional ao seu tamanho. 

Se se mudar para um local menor não estiver nos seus planos, mas pagar pela limpeza também não se encaixar no orçamento atual, que tal dividir também essa responsabilidade?


É claro que um colega de quarto também vai criar a sua própria bagunça e sujeira (sendo superorganizado ou não, é a vida). Mas se vocês souberem separar corretamente as tarefas domésticas, ninguém será sobrecarregado. Afinal, com exceção dos espaços individuais (quartos), todos os demais já são usados por você, que está se descabelando para dar conta de tudo. 

Tem medo de dividir errado e acabar tendo que limpar a sua zona e a de outra pessoa? Logo mais sai um post aqui no blog te ensinando a dominar o processo (e dormir todas as noites em paz, com cheiro de desinfetante de lavanda do banheiro). 

Você é novo na cidade ou está planejando uma mudança

Nesse caso, existem duas opções:


  • Você chegou a uma região totalmente nova, onde tem poucos ou nenhum amigo;
  • Você está planejando se mudar para outro bairro ou cidade, mas os preços estão fora de cogitação para s seus ganhos (ou vão te estrangular todos os meses).


Em ambos os casos, um colega de quarto oferece vantagens. Além da questão financeira, que já discutimos, ele pode te ajudar a desbravar esse novo território. Se for nativo, ainda melhor, pois terá ótimas dicas de onde ir e comer, além de te apresentar à turma dele - quem sabe vocês não se tornem ótimos amigos também?


Se a mudança é para o exterior, a ideia se torna ainda mais interessante. Ouvir outra língua todos os dias e conviver tão intimamente com uma pessoa de outra cultura valem mais que qualquer intercâmbio escolar.

E mesmo que os planos sejam ir de mala e cuia apenas para outra cidade brasileira ou um novo bairro, ter um colega de quarto te ajudará a arcar com esse novo custo de vida, servindo de guia ou desbravando a região contigo. Incrível, né?

As suas especialidades são limitadas

Eu poderia usar uma centena de exemplos distantes, mas por que não te contar dos meus defeitos? Afinal, você já é de casa e está na hora de saber.

Meu bem, eu adoro comer e cozinhar coisinhas específicas. Por exemplo, quando me dá vontade de saborear uma lasanha inteira, comprar todos os ingredientes e partir para a cozinha, mesmo que leve uma tarde inteira para fazer a massa e tudo o mais. 

NO ENTANTO, se for minha responsabilidade nos alimentar todos os dias (preparando o almoço e o jantar, por exemplos), é fato de que vamos passar muita fome, comendo em horários aleatórios ou pedindo delivery. É simplesmente uma coisa que eu não gosto de fazer. Cozinhar pela obrigação diária me enche de ansiedade e preguiça.

Por isso, ter alguém que adore cozinhar seria ótimo para mim. Não que ele vá ser meu chef particular ou servir às minhas vontades. Mas se pudermos criar acordos, onde cada um trabalha no que é mais confortável e fácil, será ótimo para ambos, não é?

Talvez ele odeie do fundo do coração lavar a louça… Então, eu herdo essa tarefa diária, nas grandes refeições (café, almoço e jantar). Tudo depende do que vai tornar a nossa vida mais tranquila e fluindo com alegria. 

Então, pense: quais são as coisas que, tendo um colega de quarto, eu poderia permutar? Qual é a minha especialidade e como poderíamos combinar isso no dia a dia? Se imaginar esses pontos faz o seu coração tremer de alívio, é um sinal forte, sim.


Essa é a sua primeira vez morando sozinho

Então temos um marinheiro de primeira viagem aqui… Se esse é o caso, você provavelmente está passando por algumas dessas situações  (ou todas): 


  • A sua mobília está bem abaixo do que você sonhou, quando se imaginou independente, na sua própria casa;
  • Você até adquiriu alguns conhecimentos de limpeza e manutenção enquanto estava sob a asa dos seus pais, mas não imaginou que seria tão pesado e a louça nunca ficaria limpa por muito tempo (insira um longo grito de indignação aqui);
  • Você se sente fracassando como dono de casa ou, pior, como adulto.

No primeiro caso, espero que tenha seguido a minha lista dos 10 itens mais importantes para comprar quando for morar sozinho. Ainda assim, os seus pins no Pinterest fazem parecer que a sua casa foi assaltada, como naquele episódio de Friends? 

É possível que, morando com alguém, essa pessoa traga os seus próprios itens ou, ainda, vocês possam combinar as compras. Ou seja, eu compro o sofá e você, a mesa de jantar… É apenas um exemplo, pois são as suas prioridades que contam. É claro que cada um levará os seus itens quando sair, mas já é um começo.

Nos outros casos, ele pode te ensinar como fazer faxinas melhores ou te ajudar a ser mais organizado. Você pode sempre consultar o Moça de Casa para evoluir em qualquer um desses pontos, mas ter alguém segurando a sua mão, no dia a dia, é uma ajuda pra lá de especial.


Por fim, ter um colega de quarto é uma ótima oportunidade de perceber que ser adulto às vezes enche o saco de todo mundo. Vocês podem rir das próprias desgraças e ainda se apoiarem. Isso depende, principalmente, de encontrar, além de um roomie, um amigo, mas já é uma excelente meta, né?

E agora, me conta: 

Qual série de tv te fez acreditar que ter um colega de quarto seria a melhor coisa do mundo? 


Preciso de indicações novas! ♥

Com coleguismo, 
Sabrina Santiago. 

Postagens Semelhantes

2 comentários

  1. super legal esse post pra quem está pensando em ter um colega pra morar junto, acho que a questão financeira sozinha sempre pesa bastante

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir