A minha experiência com o slow beauty - Moça de Casa | Carreira, estudos e rotina: de casa

A minha experiência com o slow beauty

by - fevereiro 20, 2019


(Relato escrito em Janeiro de 2019)
Os movimentos de slow beauty não são novos.
Já lá em 2012, quando eu mergulhei nos conteúdos de minimalismo, muitas pessoas já escreviam na internet sobre um ideal de beleza e higiene onde haveriam menos produtos (desnecessários) e mais consciência de produção. 
Infelizmente, não me apeguei a essa abordagem, na época. Talvez por desatenção ou porque (como prefiro acreditar em tudo) era uma ideia que precisava de certo tempo para fincar raízes dentro de mim
O último ano foi perfeito para isso. Como contei no post 2018 e a constância, os últimos doze meses (e aqueles que o antecederam) foram muito dedicados aos hábitos. Eu me apaixonei pela rotina (que eu jurava odiar, desde sempre), li vários livros sobre o assunto e implementei algumas atividades que sempre pairavam como uma lenda no meu imaginário. 
Ter uma rotina de limpeza de pele, por exemplo, era uma delas.
Comecei lavando o rosto de manhã e à noite - coisa que eu já fazia, mas só quando lembrava. Depois, vieram as leituras sobre as funções dos tônicos, hidratantes, máscaras... Era divertido ler sobre um benefício específico e, com algum tempo de uso, perceber esse mesmo efeito acontecendo no meu rosto. 
Ah, por descargo de consciência, informo que tenho a pele oleosa e poros tão abertos que poderiam servir de banker para a humanidade no pós-apocalipse. 
Então, quando comecei a acordar com o rosto mais "sequinho" e menos pontinhos no queixo, nariz e bochechas, eu me apaixonei pelo processo. E também entendi o porquê de argumentarem tanto sobre a importância de construir pequenos hábitos bondosos: quando sou desleixada ou esqueço algum produto, quase sempre percebo a diferença.
Imagina o que a soma desse monte de pequenas bobagens não fez ao longo dos últimos 20 anos (ou mais, a depender da sua própria idade)? 
Bom, depois de todo esse caminho, as sincronicidades começaram a acontecer. Blogs pelos quais eu tenho muito carinho, assim como outros produtores de conteúdo presentes na minha vida, começaram a se envolver mais e mais com o slow beauty.
Era uma mudança aqui, uma acolá... Uma receita caseira nova para testar ou uma lojinha de cosméticos naturais e veganos para conhecer. No olho do furacão, até uma amiga próxima começou a usar desodorantes artesanais, sem eu ter comentado nada sobre esse monte de "sinais" que eu vinha vendo. 
No começo, eu tinha zero interesse em fazer dessa uma mudança completa. Era mais uma curiosidade do que um ativismo. Preciso confessar que parte de mim sentou no sofá da sala da minha mente e se recusou a mover um pé nessa direção. Não sei porquê. Bloqueios, talvez. 
Mas aí o meu tônico adstringente acabou e eu decidi que não faria mal testar o soro fisiológico, por enquanto. Depois, comecei a fazer máscaras caseiras, com produtos como café, mel, amido... A ponto de receber um olhar desses da minha família pela desordem que minha recente empolgação provocara na cozinha.

A água de arroz veio logo em seguida. E por fim (mas MUITO IMPORTANTE) o óleo de coco chegou para substituir o creme Nívea, cuja presença permanece pela metade no meu banheiro. 
Tem sido divertido. É interessante testar e saber que, se não der certo, tatu do bem, tatu do certo. Eu posso usar a sobra da compra para fazer uma receita na cozinha, por exemplo. É o que torna tudo mais leve: essa falta de obrigação de usar até o final.

Quantas vezes não compramos algo e nos obrigamos a continuar usando, pensando em cada centavo gasto na loja? Ou pior, acumulamos na pia do banheiro, junto com vários outros produtos pela metade?
O próximo passo é encontrar um substituto para o sabonete facial. Não estou na vibe das lojinhas de cosméticos naturais, logo, estou no processo de encontrar recomendações na internet. Como é alimento, não tem muito perigo: é dar um efeito satisfatório ou não


Revisando:

  • Rotina diária = Sabonete facial comum + Soro fisiológico + Água de arroz + Óleo de coco. 
  • Máscaras = Café, açúcar e azeite (esfoliante) + Café e mel (hidratante) OU Ovo + amido de milho (limpeza e lifting). 
Confesso que ainda não estou 100% satisfeita com nada - o que pode ser uma afirmação cruel, considerando o curto período de testes
O óleo de coco aplico apenas uma vez por dia e, se sinto que apliquei demais ou que ficou muito oleoso, retiro o excesso com um papel ou lenço. Meu sonho, no momento, é encontrar uma versão caseira de hidratante que possa aplicar de manhã e à noite. Assim como testar os óleos puros que oferecem proteção solar moderada. 
Como dá para perceber, ainda estou numa fase de transição, em que me atento ao que funciona mais ou menos para a minha pele. TEM MUITO A MELHORAR, mas já supera e muito os efeitos dos produtos industriais. Quis compartilhar aqui como um registro mesmo, para trocar ideias. 
Se esse assunto te interessa, me deixe saber.
E ah!, me conte ali nos comentários: como é a sua rotina de cuidados com a pele? Você já testou algum produto natural? 

Com beleza,
Sabrina Santiago.


Postagens Semelhantes

10 comentários

  1. ah que post incrivel! eu to querendo usar mais produtos naturais e receitinhas caseiras, me livrar do excesso de tantas coisas que eu tenho aqui...

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
  2. Olha, eu sei que os alimentos tem inúmeros benefícios para a pele, mas ainda fico com pé atrás de testar. Principalmente o óleo de coco (já que minha pele é muito oleosa).
    Consegui criar uma rotina de cuidados (e isso é um milagre para mim) e não consigo mais ficar sem! xD

    Beijo!
    Cores do Vício

    ResponderExcluir
  3. adorei as dicas, principalmente de máscara caseira.. eu uso bastante argila verde, mas sempre sinto que preciso de algo a mais rs.... tb tenho tomado mais cuidado com meu rosto e começar a ver os resultados é mto bom MESMO...

    bjs
    www.blogmodelando.com

    ResponderExcluir
  4. Amei seu post, eu tenho uma rotina de cuidados diários com a pele, uso sempre um sabonete específico para a minha pele de manhã, uso sempre protetor e hidratante e uma vez por semana esfolio e hidrato. Tudo isso com produtos de marcas veganas!

    https://www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir
  5. Olá Sabrina, muito bom seu post, eu já tinha ouvido sobre esse termo, mas nunca parei pra ler a respeito. Ano passado eu iniciei na rotina coreana e eu só tenho colhido bons frutos, aliás minha pele né haha Mas quanto ao slow beauty, achei a proposta interessante, antes mesmo de entrar na rotina coreana, eu fazia muitas máscaras com café, fubá e mel. Quero testar essa água de arroz na pele, parece ótima ^^

    bjs

    Ariadne ♥
    De volta ao retrô | Facebook | Instagram

    ResponderExcluir
  6. eu estou SUPER nesse momento também? vamos trocar dicas ♥ ♥ ♥
    eu nunca testei água de arroz, mas tenho usado óleo de coco.
    eu já busco usar produtos levemente mais alinhados com a natureza (sou viciada em the body shop), mas preciso dar um passo além nos produtos caseiros.

    Amei esse post. super completo.


    https://www.aptox.com.br

    ResponderExcluir
  7. Minha rotina é repleta de produtos industrializados, uma vergonha. A única coisa natural que uso é o sabonete que é bem vegan. Preciso mudar isso, com certeza daqui um tempo fará grande diferença.
    Beijos,

    https://lesjoursdemarcela.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  8. Estou entrando nessa vibe! Estou acabando com os produtos e pretendo usar só o básico!! <3
    NicenessBeauty

    ResponderExcluir
  9. Eu já uso o óleo de coco para algumas coisas do tipo pele, cabelo e unhas, mas não constante por falta de entendimento e também pelo ''tempo''. Ah, eu sempre faço/uso esfoliante labial com mel e açúcar demorado. Fica melhor que muitos por aí.
    Seu post me inspirou ainda mais e pretendo reavaliar os meus conceitos.

    Um beijo
    Jéssica Andrews Blog

    ResponderExcluir
  10. Slow beauty <3
    Como é bom ver essa tematica se espalhando mais e mais na internet e conquistando mais gente. É um respiro nesse consumo desenfreado de que as pessoas acham que precisam daquele monte de produtos e cosmeticos pra ter um resultado satisfatorio.

    ResponderExcluir