Viver em casa também é resistência - Moça de Casa | Carreira, estudos e rotina: de casa

Viver em casa também é resistência

by - novembro 14, 2018


Parte do meu trabalho, e da minha vida também, é procurar por pequenos problemas dentro da vida doméstica, que podem passar despercebidos aos adultos de primeira viagem.

Para isso, eu observo dia após dia os meus erros, as minhas inseguranças e as minhas vitórias. Tudo isso com a esperança de que haja alguém nesse planeta que se identifique com a minha jornada e a quem eu possa ajudar com algum conselho ou dica.

Claro, esse é o bônus. Mas o que ninguém fala é sobre o quanto pode ser doloroso ser quem a gente é e ter as preferências que a gente tem.

No meu caso, tenho a convicção de que seria infinitamente mais fácil conseguir acompanhar aulas presenciais e trabalhar em um escritório das 9 às 18. Em seguida, voltar para o mesmo endereço onde morei da infância à velhice. É o modelo tradicional de vida e o mais comum.


Não é o mais "fácil" para todos (afinal só quem vive esse modelo conhece as suas dificuldades). Mas, sim, é o mais fácil dentro da minha realidade/cultura/família.

Nela, ninguém é incentivado a procurar um curso EAD quando deixa a escola, a fundar o próprio negócio ou a sair de casa antes de se casar. É assim por aí também? 

O pior é que acabamos seguindo um efeito manada e dizemos que algo não é pra gente antes mesmo de refletir sobre o assunto e testar ("ah, eu não me daria bem no EAD, sou muito indisciplinado" ou "ter uma empresa é coisa de gente rica, né? Deus me livre não ter salário fixo" ou, ainda, "pagar aluguel é perda de dinheiro, tô fora"). Acabamos limitando nossas opções de vida por preconceitos tolos e desinformação.



Não é fácil participar de um movimento de transformação. Dizer para as pessoas que o "normal" delas não é o seu e que tá tudo bem. Procurar por informações sobre o seu estilo de vida e ter que cavar muito até achar outras pessoas na mesma situação.

Digo porque vejo o quanto me faltaram amigos e familiares para conversar sobre esses assuntos. Ou até material em blogs, livros e especialistas que, de forma madura, fornecessem dicas e caminhos. O mundo ainda nos ignora, um pouco.


O Moça de Casa, inclusive, nasceu dessa constatação. Em pleno 2018, ainda não havia sequer um site que compilasse os estudos à distância, o homeoffice e o morar sozinho... Isso me assustava tanto, pois é só mais um sinal de que as pessoas ainda não são incentivadas a considerar caminhos não-convencionais em seus planos de vida.


Felizmente, vivemos na era da internet. "O céu é o limite" é o mote de toda uma geração acostumada ao online e às novas ideias. É um período de ruptura enorme. De um lado, o que nos ensinaram a vida inteira. Do outro, os nossos sonhos.


Para quem vê de fora, estudar em casa, trabalhar via homeoffice e morar sozinha é a reapresentação da mamata. "Que vida mole... E você ainda reclama". Dificilmente se vê o tamanho da força de vontade exigida de quem não tem quem cobre produtividade durante o dia, nem um professor ranzinza que te impeça de dormir ao invés de estudar. Promessa de retorno financeiro, então, é uma miragem distante por aqui. Tudo depende do seu próprio esforço.


Apesar de tudo, nem passa pela minha cabeça culpar meus entes queridos mais velhos por seu pé atrás. Nunca, na vida deles, eles foram ensinados a romper com o sistema e buscar por mais. Afinal, desafiar convenções para quem passava fome costuma ser a menor das preocupações. Só agora, com condições melhores de vida, começamos a discutir assuntos como esses, o que significa um choque entre duas culturas opostas e uma evolução gigantesca.

Por vezes, eu pensei em me adequar. Ainda penso, com frequência bem menor, é verdade, mas penso. É uma jornada desconhecida demais, em todos os sentidos. Para mim, pior do que uma eventual pressão para seguir o modelo convencional é não sermos incentivados a buscar respostas às nossas angústias.


Eu mesma demorei muito até entender que meus problemas com os cursos presenciais, por exemplo, vinham da minha facilidade com o autodidatismo. Ainda sinto o gosto da culpa no tempo em que não entendia o porquê de me sentir tão angustiada com a escola, mesmo sendo uma ótima aluna e adorando estudar... Levou tempo até entender a origem da minha agonia. Num pequeno incentivo online, eu comecei a minha jornada autodidata e foi como se o mundo se abrisse para mim.


Se não for assim com você, tudo bem. Mas se for, bom... Saiba que está tudo bem também.

Só hoje eu percebo que viver em casa, pelo motivo que for, também é resistência. Resiste-se a vontade de sair correndo para bater cartão e receber um valor exato todo mês. Resiste-se ao desespero de matricular-se na faculdade da cidade sem qualquer questionamento. Resiste-se a própria insegurança de se questionar porque de ser assim, quando ninguém mais parece ser. Resiste-se à tendência de ignorar a própria voz, que te grita que há um caminho diferente para alcançar e uma vida dos sonhos que vale a pena ser vivida. Resiste-se ao medo de não se enquadrar, de não ter oportunidade, de fracassar.

Daqui pra frente, lembre-se de refletir sobre as suas escolhas na vida. Se sentir o chamado de nadar contra a corrente, tenha fé que as coisas vão se ajeitar (parece que não, mas elas vão!).


Viver com consciência também é uma forma de resistência. E a tua casa, meu amor, é o teu quartel general. Só por lutar você já vence a guerra!



Postagens Semelhantes

36 comentários

  1. adorei a reflexão!
    realmente não tem muito conteúdo sobre os tópicos que tu aborda! vou adorar acompanhar pra saber mais! <3

    xoxo
    Guria do Século Passado

    ResponderExcluir
  2. Meu incrível seu post, parabéns por quebrar essas barreiras que foram impostas a você e hoje eu vejo como o que você disse, sobre trabalhar e estudar em casa ser uma "mamata" é a realidade na cabeça de muitas pessoas de mente fechada. Hoje eu faço faculdade presencial e não trabalho e muuuuuuito cobram o tempo todo: nossa, vai arrumar um emprego, vai ficar dependendo da sua família até quando ou até cobram: agora já pode morar sozinha e essa ladainha de quem acha que sabe tudo sobre a vida.

    Blog Vinte Primaveras

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo carinho, Camila. Não se preocupem com os comentários alheios. Você é incrível e tem tudo de que precisa para conquistar o mundo! Só vai ♥

      Excluir
  3. Oi Sabrina! Acabei de conhecer seu cantinho e to apaixonada. Me identifiquei tanto com vc, sabe? Fazer algo diferente dentro dessa estrutura travada é um desafio diário, mas que seguimos tentando e resistindo. É bom saber que tem mais gente parecida com a gente vivendo por aí, dá uma sensação de que é mesmo possível. beijos e obrigada pelo texto.

    http://amandatelo.com/blog/

    ResponderExcluir
  4. Eu as vezes me sinto pouco assim, quando a minha vida não se encaixa nos rótulos da vida da maioria das pessoas. Todo mundo trabalha fixo, já eu sei que talvez eu não daria tão certo nessa jornada, já que a maioria dos trabalhos que eu desejo é de free lancer. Claro que eu queria estabilidade na vida, porém não me vejo tão feliz na maioria dos empregos fixos na minha área. É muito confuso e complexo de se explicar.
    Triste que tenham visto a sua vida como algo "fácil" como se ficar em casa fosse a coisa mais fácil e desfizeram da sua vida. Não é mole, com certeza é resistência sim.
    Beijos,
    Mundo Perdido da Carol
    Instagram: @carolinsweet
    Fan Page

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carol, me identifico muito com a sua percepção. Obrigada por ser tão corajosa e compartilhar! ♥

      Excluir
  5. Primeiramente quero dizer que seu blog é lindo e segundo parabéns por falar verdades, eu também faço faculdade EAD e sei bem do que está falando, também me sinto as vezes perdida, como se não conseguisse conciliar tudo, e quase não tem apoio no meio da internet tb, estou até fazendo um plano de postagem sobre o assunto no meu blog. Quero vir mais vezes aqui e acompanhar seu avanço e aprender também.

    www.coisasdepriscila.com
    Instagram l Beijo.
    Nos encontramos toda seg, qua e sex.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Escreva esse post, sim. Vou adorar acompanhar a sua experiência! ♥

      Excluir
  6. Seu post pode servir de inspiração para outras pessoas, sabia? :)
    Parabéns por ele, está o incrível.
    No meu curso de moda, existia o EAD uma vez por semana. Tinha meninas que não levava à sério, mas a matéria aplicada no portal era tão importante como qualquer outra e reprovava,também.
    Hoje em dia, tudo está diferente aqui em casa, principalmente com a chegada do meu filho. Eu trabalho produzindo conteúdo, não estudo, mas quero procurar algo e ainda cuido dele e faço as tarefas doméstica. Não é fácil, mas no final do dia sempre rola aquele alivio.
    E eu as vezes sinto que as outras pessoas -parentes- não entendem esse meu trabalho. É mais ou menos igual a você.
    Força!

    Um beijo
    Jéssica Andrews Blog

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jéssica, obrigada por compartilhar. Saiba que seu caminho é único e, com toda a sua dedicação, ele só pode ser incrível. Não deixe que seus parentes te convençam do contrário. Essa jornada é sua e não deles. ♥

      Excluir
  7. AAAAAAAAAAA acabei de conhecer teu blog e amei demais. Já abri outro post aqui pra continuar lendo! Acho que é difícil sim conciliar muita coisa no conforto de casa, tenho o blog, minhas leituras e minha empresa (uma lojinha online) e antes achava que isso me deixaria mais desleixada, mas muito pelo contrário, vi que tenho mais liberdade quando fico aqui no meu home office trabalhando e ando mais disciplinada que nunca hahhaa.

    Beijos
    Próxima Primavera

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Clarissa, que bom te ter por aqui. Entendo muito a sua situação quanto a disciplina: nunca me senti tão focada! ♥

      Excluir
  8. Que post mais incrível! Eu bem que queria "chutar o balde" algumas vezes (tipo sair de um emprego fixo e trabalhar free), mas a instabilidade me deixa insegura, logo, continuo na mesma, empurrando com a barriga. Mas concordo com as suas palavras! ^^

    Beijo!
    Cores do Vício

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo bem, Pathy. Você não precisa "chutar o balde". Analise a situação com calma. Guarde algum dinheiro para fazer escolhas independentemente dele. E mantenha a calma: seus sonhos ainda esperam por você! ♥

      Excluir
  9. que post mais maravihoso, amei seu texto, acho que ser fiel a quem nós somos de verdade é o mais dificil, muitas vezes ficamos tentando nos encaixar a padrões impostos e nunca nos realizamos de verdade

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
  10. Amei seu post, trabalho em casa com meu marido e é surreal como somos criticados e taxados como quem não faz nada. Sendo que a gente não para um dia, trabalha de fim de semana, no feriado.. isso me tirou da zona de conforto e aprendo muitas coisas todos os dias!

    www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No fundo, o incentivo maior tem que vir de dentro da gente, né, Kaila?! Parabéns pelo trabalho. Você é incrível! ♥

      Excluir
  11. Aquele sabonete em folhas é muito interessante! Adorei testar! ;D

    Sabrina! Não é fácil caminhar fora do que dizem ser o ideal. Tive que ter resistência, por exemplo, quando escolhi fazer Jornalismo! Pelos meus pais seria Administração. Mas bati o pé pelo que eu realmente queria! Acredito que cada um tem que moldar a sua própria vida. Independentemente de qualquer coisa!

    Ótima sexta!

    Beijo! ^^

    ResponderExcluir
  12. Moça, seu texto é incrível! Realmente, pra fazer tudo isso tem que ser muito guerreira, porque além de todos os problemas que vem com o dia-a-dia, ainda tem que ouvir um monte de gente falando coisa. Na verdade, andar fora da linha dos padrões, sejam eles quais forem, é bem complicado. Mas, no final das contas, vale à pena resistir se você sabe o que quer (ou até se você não sabe bem), né?

    Um beijo!
    Instagram | Fanpage

    ResponderExcluir
  13. Eu to doida pra sair desse efeito manada. Terminei a faculdade esse ano e já quero fugir daqui pra escrever minha própria história. Feliz que você criou esse site/blog pra passar suas experiências e para aprendermos com você também. Viver em casa é muita resistência também e muito cansativo. As pessoas pensam que é fácil trabalhar em casa, mas mal sabem que a disciplina é 5x maior do que um trabalho presencial. Enfim, adorei o post!
    Beijos!

    www.likeparadise.com.br

    ResponderExcluir
  14. Que post interessante, porque eu meio que sou uma dessas pessoas que seguem a manada. Não que eu não gostei disso, porque eu gosto de rotina, me faz bem, mas ao mesmo tempo sinto que não estou vivendo como no fundo eu gostaria de viver sabe? Sinto que perco tanta coisa legal e oportunidades...
    Mas é bem isso "as pessoas ainda não são incentivadas a considerar caminhos não-convencionais em seus planos de vida" e é muito legal ver você falando disso no seu blog e de certa forma nos incentivando a pelo menos abrir mais a mente.

    https://heyimwiththeband.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Val, vou te dar o mesmo conselho que dei acima para a Pathy: vai com calma. Se planeje, guarde algum dinheiro se achar necessário e acredite em você. Se esse é realmente o seu chamado, sempre vale a pena. Você consegue! ♥

      Excluir
  15. Eu adorei sua postagem, me identifiquei muito porque sempre fui muito caseira, e ter que me aventurar para mudar de vida não foi fácil, encarar a realidade e "sair do casulo". Eu amo minha casa e também as coisas que hoje em dia eu faço, principalmente o blog, que é meu hobbie e também meu pequeno trabalho. Sou muito feliz pelas coisas que conquistei e também por aquilo que eu arrisquei e tive coragem para fazer. *--*
    Beijos.
    Diário da Lady

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sua felicidade também existe do lado de cá. É tão bom, né, Leidiana? ♥

      Excluir
  16. Olá Sabrina
    Sensacional seu post.
    Nunca tinha pensado em como é difícil encontrar blogs sobre as dificuldades (e as alegrias) de morar sozinha, fazer EAD e ter um blog profissional, assim tudo junto.
    Confesso que me surpreendeu as poucas informações a respeito e estou orgulhosa por vc ter sido desbravadora desse universo tão presente e ainda tão controverso (especialmente entre as pessoas de gerações anteriores)
    Confesso que sigo a manada, saio de casa cedinho pra trabalhar e volto tarde da noite depois das aulas, assim num momento de perspectivas e possibilidades eu devorei esse texto reflexivo, transformador e inspirador.
    Gratidão por compartilhar.
    Bjs Luli
    https://cafecomleituranarede.blogspot.com.br


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sei qual caminho seu coração te diz para seguir, Luli... Tudo o que sei é que você pode conquistar tudo o que quiser. ♥ Obrigada por comentar!

      Excluir
  17. a real é que cada pessoa, dentro da sua realidade enfrenta problemas e dificuldades :/ e infelizmente as vezes quem ve de fora, nao consegue entender... mas sim, concordo muito com voce e com seu texto <3

    beijos

    ResponderExcluir
  18. Eu adorei o seu texto. Vejo que muitas pessoas da nossa geração passa por esse drama. Menina, quando falamos nessas questoes de estudar a distância, trabalhar de casa e morar sozinha ainda é motivo de burburinho e julgamentos. E sim, da própria família que começa. Só me sinto cansada de normalismos e regras tradicionalistas que pintam um modelo de felicidade que não existe. Cada um é feliz como quer ser.
    Beijos,
    Monólogo de Julieta

    ResponderExcluir