Por que criar um blog em 2018? - Moça de Casa | Carreira, estudos e rotina: de casa

Por que criar um blog em 2018?

by - outubro 01, 2018


Essa foi a primeira pergunta que eu me fiz, enquanto planejava que fim dar a tantos textos que eu mantive guardados nos últimos anos. 

Para te contextualizar, preciso contar antes um pequeno resumo da minha vida, algumas das proezas que eu alcancei e como cheguei até aqui.

Meu nome é Sabrina Santiago e moro em Guarulhos/SP (ao lado do maior aeroporto do Brasil). Aos 20 anos, eu já... 


  • Estudei para o vestibular totalmente sozinha, em 2015.
  • E consegui ser aprovada na Universidade de São Paulo (USP) e em outras 4 faculdades, cursando enfim Audiovisual (SIM, o curso mais desconhecido - e também o mais disputado, atrás somente de Medicina).
  • Saí da casa dos meus pais aos 18 anos. 
  • Me aprofundei no estudo de dois idiomas de forma autodidata.
  • Entre outros.
Por outro lado, o caminho foi igualmente cheios de percalços:


  • Eu descobri que o sonho de ser roteirista, que eu carregava desde sempre, não estava mais alinhado com quem eu tinha me tornado - o que me fez trancar a faculdade já no primeiro semestre. 
  • Depois de rasteiras emocionais incontáveis, voltei pra casa dos meus pais.
  • Vivi questões sérias ao longo da minha vida em relação a autoestima, autossabotagem e inconstância.
  • Reprovei em tantos testes de direção que até perdi a conta de quantas provas fiz até ser aprovada (é sério).
O mais louco é que tenho muito orgulho dessas duas listas, talvez até um pouco mais da segunda. Poucas vezes eu mergulhei tão fundo em mim mesma quanto nos dias em que me senti fracassando - fracassando na pessoa que eu achei que eu era, na adulta que eu idealizei me tornar, nas expectativas que todos tinham sobre mim. 

Eu sobrevivi, sabe? E não importa o quanto a sua vida tenha mudado desde o Ensino Médio (ou qualquer outro momento no qual você tenha enchido de certezas sobre o caminho à sua frente): você também vai sobreviver.

Essa é a beleza da vida.



Hoje em dia, eu já curso uma faculdade que eu gosto. Sei o que funciona ou não, pra mim, em relação ao trabalho e aos estudos. Conheço todas as dificuldades de morar sozinho (e aconselho que você vá, não importa o que te digam). Nesse processo, descobri, ainda, parte das minhas limitações e tento superá-las, vivo uma rotina que me agrada em 85% dos aspectos e tenho sonhos maiores do que eu. 

Mas mais do que qualquer coisa, eu tenho muita fé no mundo. Eu sei que ele é um lugar bom e que viver com clareza, consciência e independência pode até doer (muito), mas é tão gratificante que vale a pena.

Todas as loucuras que eu vivi serviram pra me dar bagagem. Eu tenho, enfim, algo verdadeiro a contribuir com esse mundão que eu tanto venero. 

Afinal, o motivo de nós, seres humanos, sermos tão sociáveis é exatamente este: compartilhar dá sentido às nossas experiências. Falar, escrever, pintar... Ou qualquer outra forma de expressão, nos conecta com os outros. Expôr nossas alegrias e dores com alguém que nos ouça faz com que não nos sintamos sozinhos num caminho que parece duro demais, às vezes.

Relacionamentos nos transbordam.

E foi pensando nisso tudo que, ao me perguntar "por que criar um blog em 2018?", um enorme "por que não?" surgiu em minha cabeça.


"É bom escrever porque reúne as duas alegrias: falar sozinho e falar em público."


Desde os 5 anos, quando fui alfabetizada, a escrita é a minha forma favorita de comunicação. Ainda me lembro com carinho dos primeiros concursos de redação na escolinha.

Logo vieram textos mais elaborados, onde eu podia falar sobre tudo o que me martelava o cérebro, sem nunca ser interrompida. Eu me sentia maior do que eu com um lápis na mão, quase do tamanho dos heróis que aquela menina de 8 anos se metia a admirar. Um sonho de olho aberto.

O difícil mesmo foi entender que nada que eu escrevesse ficaria perfeito um dia. Que não importa o quanto eu revisasse e corrigisse: sempre haveria uma virgula faltando ali, um jeito melhor de organizar uma frase aqui, até um parafrago dispensável que antes parecia imprescindível. É um desafio constante, sabe? E graças a isso, eu tive que exercitar a compaixão comigo mesma desde muito cedo (não que eu tenha sempre conseguido).

Mais tarde, veio a adolescência e, com ela, a Internet e os blogs. Acho que sou tão apaixonada por eles porque ainda me lembro da importância que tiveram na minha formação.

Não me importa que os anos de ouro da blogosfera tenham ficado pra trás. Ainda há tanta gente bacana produzindo conteúdo bacana. Como eu poderia desistir deles?


Eu já contei que ser insegura é uma tendência que me acompanha por toda a vida. Isso também inclui as minhas paixões pessoais. 

Já perdi a conta de quantas vezes eu já escondi algo feito por mim de pessoas queridas, com a desculpa de que "o que ninguém sabe, ninguém estraga" (um jeito diferente de dizer que ninguém poderia criticar ou zombar do meu trabalho e eu estaria protegida de lidar com críticas). 

Era até bonitinho na infância, mas na vida adulta, enche o saco.

Pensa comigo: se eu mantenho essa tendência até com a escrita, que é um dos maiores orgulhos da minha vida, imagina o que eu não faço com o resto. 

Mas 2018 tem me desafiado em níveis inacreditáveis e, de repente, me esconder se tornou tão sufocante. Ainda dói, ainda dá vontade de sair correndo e nunca mais tocar no assunto, mas eu tenho noção de que não me faz bem me esconder.

"Firmeza de espírito para enfrentar situação emocional ou moralmente difícil", diz o dicionário sobre coragem. E, nossa, só Deus sabe o quanto eu me agarro a ela, juntinho pele com pele, e o quanto eu a amo.

Falando em amor, você precisa saber o quanto eu amo compartilhar coisas: vídeos bacanas que eu vi por aí, um filme diferente, lugares diferentes para comer etc.

Ajudar os amiguinhos é um prazer enorme, principalmente quando me ligam pedindo conselhos pra organizarem a mudança ou planejarem os estudos para o vestibular. 

Eu sei o quanto é difícil aprender sozinho a crescer, por isso não consigo fugir.

A internet, por um lado, continua sendo uma ótima fonte de socorro, nessas horas. Por outro, espalha tanto o conteúdo com essa temática que as respostas certas só são achadas depois de muita briga, visitas a vários sites diferentes e uma dica aqui e acolá por telefone.

Moça de Casa  surge justamente para evitar que isso volte a acontecer.

É um espaço para que meus amigos (e você, é claro) encontrem tudo o que precisam saber quando o assunto for viver sozinho, home office e autodidatismo. Basicamente, os assuntos que eu mais domino e adoro.

Tudo explicado?

Então, eu espero, do fundo do meu coração, que a nossa jornada a partir de hoje seja longa. Esteja você onde estiver, sendo quem for, se sinta sempre bem-vindo.

E lembre-se: o mundo é bom. O mundo é bom. O mundo é bom. 

Repita até acreditar.

Postagens Semelhantes

16 comentários

  1. Parabéns pelo blog. Que post maravilhoso. Continue assim que você chega longe.❤

    ResponderExcluir
  2. Oi Sabrina! Que lindo o seu post! A gente tem que se orgulhar muito da nossa história né? Tanto daquilo que foi bom, quanto das coisas não tão boas, mas que nos fazem crescer e nos ensinam muito. Criei o blog também porque gosto de escrever e às vezes sentia necessidade de ter algum lugar para externar isso. E é tão bom né? A gente tem uma troca muito legal por aqui, umas apoiando as outras.
    Parabéns pela sua história! Tenho certeza que muito mais virá e será incrível! :)

    Um beijo,
    Rê | https://rivieredusouvenir.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rê, seu comentário me emocionou tanto, mas tanto... Como é bom saber que você se identifica com esses processos e com o amor pela escrita. Obrigada, obrigada, obrigada! ♥

      Excluir
  3. Sabrina, que lindooo seu blog ♥
    E me identifiquei com você em algumas coisas, como eu também estudei para o vestibular totalmente sozinha e fui aprovada.
    Eu também reprovei váárias vezes no teste de direção, nem sei quantas, porém não passei ainda, desanimei total e não sei quando vou tentar novamente.
    Eu também amo o mundo audivisual, vou fazer um curso voltado para essa área se Deus quiser em breve!
    Enfim, já adorei que você gosta de escrever, é realmente um ato de coragem.
    Boa sorte no blog! ♥

    https://heyimwiththeband.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valéria, querida, te entendo muito. Apesar de ter passado na direção de carro, reprovei na de moto e desisti (na verdade, meu prazo acabou, mas não tentei de novo). Sei que ainda quero MUITO, mas dei uma desanimada por enquanto. É tão estressante... Mas sei que em breve vem e valerá a pena. Quando fizer o curso, compartilhe no seu blog. Vou adorar ver! Você é luz ♡

      Excluir
  4. Me identifiquei muito com vc, conquistei muita coisa, mas as lutas foram ainda maiores e é isso que dou mais valor, a trajetória.
    Também sempre gostei de blogs, da ideia de se comunicar por meio da escrita. E por mais que a blogosfera esteja um pouco saturada, ainda há espaço para boas escritas e trocas de experiências e conhecimento que agrega e faz o bem.
    Beijo, Blog Apenas Leite e Pimenta ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi exatamente o que pensei, Leslie. A blogosfera foi se saturando na última década. Mas eu acredito fielmente no poder dela, no amor que ela transmite. Bom ver que não sou a única. Um beijo, querida! ♡

      Excluir
  5. Parabéns pelo blog. Desejo muito sucesso a você. Esse ano completo 15 anos desde que criei meu blog e não desgrudei nunca mais.
    Big Beijos,
    Lulu on the sky

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É um bichinho que morde a gente e não larga mais, né, Lu?

      Excluir
  6. Amei seu post, acho que é válido fazer um blog em qualquer tempo, porque a maior coisa que ele proporciona é o auto conhecimento e o amadurecimento.

    www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir
  7. Parabéns pelo blog! Vou vir sempre! ^^
    Acho que independente do que acontece na nossa jornada, temos de nos orgulhar, pois apesar as coisas "ruins", ao menos de aprendizado a "lição" deve ter servido, né? Fica a experiência. ^^

    Beijo!
    Cores do Vício

    ResponderExcluir
  8. Uauuu que post menina! :O
    você me definiu em uma frase: "É bom escrever porque reúne as duas alegrias: falar sozinho e falar em público." já vai pro Storie com créditos! <3
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, ai, Simone, que bom que gostou. Mas essa frase não é minha, não, é do Cesare Pavese! (Qual seu instagram? Vou adorar acompanhar ♡)

      Excluir