Como se planejar para morar sozinho - Moça de Casa | Carreira, estudos e rotina: de casa

Como se planejar para morar sozinho

by - outubro 01, 2018


Muitas pessoas que eu conheço estão finalmente entrando na fase adulta. Mesmo tendo idades diferentes, todas elas parecem compartilhar do mesmo desejo repentino de autonomia e independência que eu experimentei mais cedo.

O engraçado é que, embora estejam conquistando coisas incríveis, como o primeiro carro ou um emprego bacana, o maior objeto de fascínio delas ainda é o morar sozinho. Imaginam como é lavar a louça quando quiser, nunca arrumar a cama e sempre andar pelado. 

Parece uma imagem idiota, eu sei, mas você também já pensou nisso algum dia. Ninguém te contou o quanto seria difícil administrar uma casa e seus boletos, né?

A verdade é que raramente nos mudamos preparados para superar problemas irritantes. Até que estejamos completamente estressados, com a pressão de contratos, corretores e reformas, tudo o que temos é esperança e brilho nos olhos.

Portanto, se, assim como meus amigos, você acredita que a hora de deixar a casa dos seus pais chegou, mas não faz a menor ideia de como colocar o plano em prática, o guia a seguir é perfeito pra você. Com ele, te ensinarei a fazer um planejamento a prova de erros, cobrindo desde a escolha do lar dos seus sonhos até a organização dos seus recursos financeiros. Vamos lá!

Primeiro, defina seus requisitos para a casa nova 

Seu desejo é morar em um apartamento? Não abre mão de uma casa? Precisa ser em condomínio? Qual o número mínimo de cômodos? E quanto ao bairro/região/cidade, você tem alguma preferência? Essas são perguntas simples, mas muito importantes para o seu planejamento. 

De nada adianta procurar por uma casinha na zona rural da sua cidade, se sua faculdade fica no Centro e você odeia longos deslocamentos. Essa é a hora de ser realista!

Para facilitar, crie duas tabelas. Na primeira, liste o que você não abre mão de ter (um quarto extra, varanda ampla, um bairro específico etc). Na segunda, aquilo que você não deseja de forma alguma (kitnets, bares por perto etc). Com as listas em mãos, ficará mais fácil buscar pelo imóvel perfeito e não se perder em meio a tantas opções no mercado. Clareza faz a diferença!

Orce os custos fixos

Uma vez definido o modelo de imóvel desejado, é preciso fazer um levantamento dos custos atrelados a ele. O preço do imóvel (as parcelas da compra ou do aluguel), o consumo de água e energia, internet, alimentação etc. 

Para fins de comparação, peça contas de água e luz para amigos e familiares. Examinando seus estilos de vida, você deve encontrar o perfil que mais se aproxima do seu e, daí, tirar o gasto médio mensal esperado em cada área.

Liste os móveis básicos que você deseja ter ao se mudar

Todo jogador de The Sims que se preze sonha com um lar superequipado com cara de Pinterest. 

Mas a verdade é que, muito provavelmente, o início da sua vida independente se resumirá a poucos móveis. De preferência, multi-funcionais. 

Por essa razão, liste o que você considera ser o básico da mobília e ao que você destinará as suas primeiras economias. O resto terá que esperar.

Orce o custo dos móveis (novos e usados)

Meus amigos já estão cansados de ouvir minha tagarelice sobre outlets e sites de desapego. Eu falo tanto sobre isso porque é a melhor opção para momentos de aperto, quando encontrar móveis qualidade e preços baixos se torna nossa obsessão.

Mas se prepare para o garimpo. Seu móvel dos sonhos pode estar escondido em uma dessas lojas, entre muita tralha feia e bugigangas. (sad, but true)

Se mesmo assim sobrar uma graninha e quiser investir em produtos novos, pesquise por sites famosos. Coloque no papel as diferenças de custo entre cada loja ou acesse sites como Zoom e Buscapé, que fazem a comparação de forma automática. Dessa forma, você garante que pagará sempre o menor valor possível.

Considere custos extras da mudança

Carretos, seguros-fiança e depósitos são alguns detalhes chatos dos quais nos esquecemos na hora de planejar a mudança e que fazem rombos enormes até nas contas mais recheadas. Esteja preparado!


Organize suas finanças atuais e faça uma projeção

O seu salário atual é suficiente para arcar com todas as despesas da nova casa, sobrando ainda 50% para gastos pessoais e investimentos? Se a resposta é não, talvez seja o momento de adiar o seu plano. 

Foque em procurar por um novo emprego, abrir uma empresa ou ganhar mais no seu emprego atual. Com as contas em dia, reserve uma parte do que recebe à compra dos móveis e pormenores burocráticos, construindo uma boa reserva e um bom "patrimônio" antes de se mudar. 

Projete o tempo que sua meta levará para se realizar e se mantenha determinado. Às vezes, encarar a realidade e esperar é frustrante, mas garante que não metamos os pés pelas mãos, entende? Não desista.

Procure aceleradores

Quem sabe, morar com um amigo. Ou como eu disse no tópico anterior, aumentar a sua renda. Gaste muito seus neurônios pensando em formas de acelerar o seu plano. 

Não sinta vergonha de pedir socorro, pois como diz David Niven em seu livro Os 100 Segredos das Pessoas Felizes: "a única coisa que você consegue escondendo seus problemas é garantir que ninguém o ajude". Confie nos outros e some forças!

Mantenha-se focado

Esse é um caminho difícil, que tem muito mais significado do que apenas uma chave nova no chaveiro. Pode demorar anos entre o momento da sua decisão e o primeiro dia na SUA casa. 

Mas você é o único que sabe o motivo desse sonho bater aí dentro de você. Portanto, mantenha-o vivo! Liste os benefícios de se mudar, pine imagens relacionados, crie um mural... Qualquer coisa que todos os dias te redobre o foco e aumente sua motivação.

Uma hora se torna realidade e, acredite, é bem mais recompensador do que parece.

You can do it!


Postagens Semelhantes

2 comentários