Passo a passo: Como lidar com a burocracia ao alugar um imóvel - Moça de Casa | Carreira, estudos e rotina: de casa

Passo a passo: Como lidar com a burocracia ao alugar um imóvel

by - outubro 29, 2018



Querer se mudar é só o primeiro passo quando o assunto é a loucura que é morar sozinho. Entre o sonho e a concretização, existem vários pormenores bem chatinhos, extremamente burocráticos, dos quais nem nos damos conta enquanto ainda estamos planejando. 

Para ajudar a você, novato no assunto, ou, ainda, um experiente que se aperfeiçoa sempre que reinicia um ciclo de mudanças, é que eu escrevi esse post.


Nele, você aprenderá o passo a passo dos trâmites necessários para alugar um imóvel e, de quebra, saberá como preservar a documentação recebida como comprovante. Vamos lá?


Proprietário vs. Corretora de imóveis

A primeira coisa que você deve definir é com quem você está negociando (ou irá negociar, no caso de ainda estar na fase do planejamento). 

Proprietários costumam ser mais flexíveis na negociação de valores, mas, por outro lado, podem fazer mais exigências por não entenderem bem como as garantias funcionam. Abra o olho! 


Na minha experiência, sempre foi mais tranquilo lidar com proprietários, principalmente no fator negociação: o oferecimento de depósitos seguros costuma diminuir a necessidade deles por documentação excessiva e comprovação de renda gorda, enquanto mobiliárias são mais inflexíveis. Pesquise e converse bastante até se decidir!


Aprovação de cadastro

Após encontrar o seu "eleito" (já te ensinei a descobrir seu imóvel dos sonhos no post: COMO SE PLANEJAR PARA MORAR SOZINHO), começa a parte mais chata: a burocracia. 

Primeiramente, você preencherá um formulário simples, com seus dados pessoais, e será instruído a fazer o envio da documentação (RG, CPF, comprovante de renda, comprovante de residência etc). Quem te dirá o que deve ou não ser enviado é o próprio locador, seja ele o proprietário direto ou uma imobiliária. 


Encontrar e digitalizar todos os documentos costuma demorar mais do que a própria aprovação, portanto, te incentivo a já manter todas as cópias salvas no seu computador. Poupa desespero e um trabalhão!



Seguro-fiança vs. Depósito vs. Fiador

Existem três tipos de garantia e, acredite, esse é o tópico que mais enlouqueceu vários amigos meus. Por isso, vamos por partes:

Seguro fiança

Seguradora, pagamento, aprovação de cadastro, apólice.

A contratação de um seguro fiança é como a de qualquer outro seguro: uma corretora é paga e, caso ocorra algum problema durante a vigência do seu contrato, ela se responsabiliza por pagar o aluguel (te cobrando os valores judicialmente depois). Fora o aluguel, o locador pode exigir ainda que contas da casa, custos de manutenção e pintura, dentre outros, também sejam segurados. 


Como você pode imaginar, quanto maior o número de itens, maior é o valor a ser pago.


As corretoras, assim como as imobiliárias, solicitam a aprovação de cadastro. Portanto, mais uma vez, cheque a lista de documentos exigidos e se antecipe. Com a apólice em mãos, envie uma cópia para o locador e guarde outra por, pelo menos, 5 anos.


Desvantagem maior: É um dinheiro que não volta ao fim do contrato - mesmo que não haja nenhum débito pendente. 


Caução

Tipos de retorno, pagamento, comprovante.

O depósito caução funciona como um "adiantamento". O futuro inquilino, após a assinatura do contrato, deposita um valor correspondente a 3 meses de aluguel para cobrir eventuais dívidas e prejuízos causados por ele. A depender do locador, tente negociar e diminuir a quantia, se possível. 

O valor depositado deve ser devolvido ao final do contrato (com correção monetária) ou ser abatido dos últimos 3 meses de estadia.

Aviso importante: somente deposite o valor após a assinatura do contrato! E exija sempre um comprovante, caso efetue o pagamento com dinheiro vivo. 


Desvantagem maior: Nem sempre temos esse dinheirão todo em mãos. E quando temos, a prioridade costuma ser a compra de móveis e eletrodomésticos para a casinha nova. 


Fiador

Critérios, documentação, contrato.

O fiador é uma pessoa de sua confiança que aceita assumir eventuais dívidas de inadimplência. Ou seja, caso você não possa pagar os aluguéis, é ela quem será cobrada. 

Encontrar um fiador pede cuidado. Além dos requisitos básicos (ser residente e proprietário de um imóvel na mesma cidade, com nome limpo e sem financiamentos), existe a questão do relacionamento. Converse bastante com a pessoa e explique exatamente o que ser um fiador significa. Talvez ela não tope, mas a amizade de vocês será mantida, o que é o mais importante.

Se ela topar, deverá assinar o contrato juntamente com você, declarando estar ciente de todas as cláusulas do mesmo. Os fiadores casados precisam ainda da anuência (e assinatura) de seus cônjuges. 

Desvantagem maior: Encontrar um fiador não costuma ser fácil e, como dito acima, pode destruir relações se acabar mal. Cuidado!


Leitura do contrato

O ideal é que, antes da ida ao cartório para firmar o acordo, o locador te envie uma cópia do contrato. Dessa forma, você pode lê-lo com calma e contestar divergências. Não deixe para fazer isso na última hora: é um compromisso importante que, se mal firmado, pode te custar muito dinheiro, tempo e dor de cabeça depois.

Ida no cartório

O mais comum é locador e inquilino vão juntos ao cartório para assinar o contrato. Esse procedimento exige firma reconhecida - custando, em média, menos de 10 reais.




Comprovantes do contrato

Mantenha uma cópia do contrato assinado sempre com você, em local seco e seguro. Se preferir, peça ainda cópias autenticadas no cartório e deixe na casa de alguém de confiança, como seus pais. 

Para fins legais, a cópia "original" deve ser mantida por, pelo menos, 3 anos após o término do período locatício. 

Outros comprovantes

Uma das suas obrigações é apresentar ao locador a comprovação de que todas as contas do imóvel estão sendo pagas. Se as mesmas não estiverem em seu nome, tenha um lembrete na agenda para digitalizar os comprovantes todo dia X do mês e enviá-los por e-mail, por exemplo. 

O mesmo vale para as contas no seu nome, claro. Mas é tão mais difícil acessar os recibos das concessionárias quando não se é o titular, que esse caso merece um alerta especial. Portanto, trate os recibos de terceiros como preciosidades!


Ah! E diferente dos contratos, comprovantes de contas comuns precisam ser guardadas por 5 anos, viu? Já separe sua melhor pasta como arquivo. 

Recomendo também guardar digitalizações no Drive ou Evernote - nunca se sabe quando um incêndio ou roubo vai te pegar de surpresa.




Ufa! Quanta coisa, não?


Me conta: qual parte te deu mais trabalho ao alugar sua casinha? Ou então, se ainda não alugou, qual delas te assusta mais? Compartilhe suas dúvidas... Quem sabe eu (ou outros leitores) não possa te ajudar?!

Muito obrigada e boa sorte!


🌻

Deep in my heart there's a trembling question
Still I am sure that the answer gonna come somehow
Out there in the dark, there's a beckoning candle

🌻


Postagens Semelhantes

14 comentários

  1. Realmente é bem burocrático mesmo! Mas de certa forma, não acho de todo ruim, afinal, é uma medida de segurança também!

    Beijo!
    Cores do Vício

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você está certa, Pathy. Contudo, para quem é marinheiro de primeira viagem, tantas regras e processos podem confundir um pouco (MUITO!), né?

      Excluir
  2. Oi, Sabrina
    Minha tia tem alguns aluguéis com uma corretora de imóveis e eu percebo o quanto é difícil alugar os apartamentos, já que tem a questão do fiador, que nem sempre as pessoas tem alguém para pagar caso eles não paguem, e isso impede muito de alugar. Como ainda não pude sair de casa, ainda estou tentando juntar dinheiro pra conseguir um aluguel decente mas sem dificuldade pra encontrar.
    Adorei as dicas, muito úteis!
    Beijo

    http://www.capitulotreze.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Entendo a dificuldade: realmente, encontrar um fiador não costuma ser tarefa fácil, ainda mais em mudanças para outras cidades. Boa sorte, Miriã!

      Excluir
  3. Amei seu post, não entendia nada disso e minha sorte é que quando fomos alugar o apt que moro meu marido trabalhava no cartório e fez tudo rapidinho! Seu post vai ajudar muita gente.

    www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que ajude mesmo, Kayla... Ter um marido desses é ter um anjo nessas horas.

      Excluir
  4. Ótimas dicas, realmente é muita burocracia mas eu até entendo em parte. Tenha um ótimo dia, beijos!

    Blog Paisagem de Janela
    www.paisagemdejanela.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Depois que se entende os processos, fica tudo mais fácil. Obrigada por comentar, Paula!

      Excluir
  5. Que post bacana!!
    Super explicado e útil!! :)
    Gosto do jeito que você escreve, muito bom!

    https://heyimwiththeband.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. Ah, e que legal que você conhece a banda Papa Roach :)

    https://heyimwiththeband.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. Olá Sabrina
    Puxa uaaaaau esse post é um texto de utilidade pública, todos deveriam ler viu?
    Além de detalhes e avisos bônus, tudo bem explicadinho em blocos para maior segurança em relação a burocracia de cada ítem.
    Já favoritei aqui.
    No meu caso a parte mais difícil foi o excesso de docs, 100 0R :(
    Acho que nunca vi tanto papel junto!
    Fiz depósito, não conhecia essa modalidade fiança locatícia. Apesar das desvantagens não deixa de ser uma opção.
    Gratidão por compartilhar conosco certamente vai ajudar e muito, muitos leitores.
    Bjs Luli
    https://cafecomleituranarede.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Luli, seu comentário fez o meu dia. É um prazer de ajudar de alguma forma! ♥
      No meu caso, o seguro fiança compensava mais na época, mas não sei faria de novo... E quanto aos docs: EU TE ENTENDO MUITO. Não sei de onde sai tanta coisa!

      Excluir